Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]




A República do Equador será a 31ª delegação a desfilar na Parada das Nações dos Jogos Olímpicos de Tóquio. O país é uma república democrática localizada na América do Sul, limitada a norte da Colômbia a leste e sul pelo Peru e a oeste pelo Oceano Pacífico. É um dos únicos países da região que não faz fronteira com o Brasil.

O território que hoje se encontra o Equador era território ocupado pelos incas que tomaram a região no século XV durante uma invasão sangrenta para os povos locais. No ano de 1531, com a Guerra Civil Inca, os espanhóis desembarcaram e travaram diversas batalhas pela conquista do território. Os povos locais tinham um número muito maior de guerreiros que a Espanha, porém, as armas e as táticas de guerra europeia fizeram com que o território do Equador ficasse pertencendo a Espanha.

No ano de 1822, as forças locas se uniram à Grã-Colômbia República fundada por Simon Bolivar e derrotaram o exército monarquista vigente então. Posteriormente o Equador se separou da Grã-Colômbia e se tornou independente 1830. Durante todo o século XIX, o país viveu um período instável politicamente falando. Nesse cenário surgiu Gabriel Garcia Moreno que, com apoio da Igreja Católica, unificou o território em 1860. 

O Equador elegeu três presidentes livremente, e estava em processo de recuperação econômica, quando em 1972 seguindo uma tendência no continente houve um golpe militar que derrubou José Maria Velasco. A ditadura militar equatoriana durou até 1979, quando Jaime Roldos Aguilera assumiu a presidência. Desde então, o regime de república passou a ser adotado no país.


Trajetória Olímpica

A estreia olímpica do Equador foi na edição de 1924, em Paris, levando uma delegação de
três atletas do naipe masculino e para competições do atletismo. Depois disso, o país só voltou a participar na Cidade de México, em 1968, sendo que essa edição também marcou a primeira participação feminina na delegação equatoriana, com a nadadora Tamara Orejuela. Também participaram Ana Maria IcazaMaria Elena Guzmán e Francisca Guzmán, mas disputando o tênis, que na época era um esporte exibição.

A primeira medalha olímpica do Equador só surgiu em Atlanta-1996. E foi logo de ouro, com Jefferson Perez, na marcha atlética 20km. Ele se tornou, na época, o mais jovem ganhador da medalha dourada na modalidade. Após ficar em quarto lugar nas edições de Sydney-2000 e Atenas-2004, Jefferson voltou ao pódio na prova em Pequim-2008 conquistando a medalha de prata.
Jefferson Perez com a medalha de ouro no peito em Atlanta - 1996 (Foto: AP)


Na última edição olímpica, na Rio-2016, o Equador levou sua maior delegação da história, com 38 atletas, mas ficou sem medalhas. Os lugares mais próximos foram atingidos com os boxeadores Carlos Quipo e Carlos Andres Mina, que ficaram a uma vitória da medalha.

Carlos Andres Mina em ação na Rio-2016 (Foto: divulgação/COI)




Principais Esportes


Futebol

É o esporte mais praticado do país e as recentes participações em Copa do Mundo tem colaborado para isso, tendo participado pela primeira vez em 2002 capitaneado por Alex Aguinaga e posteriormente participando das edições de 2006, onde conquistou sua melhor campanha chegando as oitavas de final e a sua última participação em 2014 no Brasil.

Foto: Divulgação/ Conmenbol


Basquete

É um dos esportes mais praticados no país. Apesar disso, a equipe nacional não tem resultados expressivos em competições internacionais, tendo participado uma única vez do Mundial Masculino de Basquete, ainda no ano de 1950, terminando em oitavo colocado entre os dez participantes daquela edição.


Atletismo 

É o esporte que tem dado os melhores resultados a nível internacional, principalmente na marcha atlética, tendo como grande estrela o medalhista olímpico Jeferson Perez.



Jogos Pan-Americanos

O Equador tem a décima segunda posição no ranking de todos o tempo dos Jogos Pan-Americanos e vem crescendo a cada edição. Em Lima-2019, fez seu melhor resultado em quantidades de medalhas de ouro e no geral, terminando a uma posição do top-10. Essa campanha foi impulsionada pelos atletismo, com o excelente resultado na marcha atlética, com dois ouros e um bronze, e pelo judô ,com uma prata e três bronzes.


Principais atletas

Alex Quinonez: medalhista de bronze do último Campeonato Mundial de Atletismo, realizado em Doha-2019, nos 200m rasos, marcando o tempo 19.98. O atleta de 31 anos também é o atual campeão pan-americano na prova e vai a Tóquio em busca de trazer uma medalha olímpica para seu país, fato que não ocorre desde a edição de Pequim-2008.
Foto: Divugalção/ Lima 2019

Lenin Preciado: judoca que tem como principais conquistas a medalha de ouro no Pan de Toronto-2015 conquistada em cima da medalhista olímpicos brasileiro Felipe Kitadai e a medalha de prata no Pan de Lima-2019 perdendo a final para outro brasileiro, Renan Torres. Preciado vai a Tóquio em busca de melhoras sua posição conquistada na Rio-2016 onde parou na segunda rodada sendo derrotado pelo Suíco Ludovic Chammartin

Foto: Divulgação/ Ecusport













 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]